segunda-feira, 31 de maio de 2010

O GRUNGE DE VOLTA NAS CAMISAS XADREZ


Camisa de flanela Aramis
Clássico do guarda-roupa masculino, a camisa xadrez é um item que nunca sai de moda. Nesta temporada, a peça -- que marcou o estilo grunge e que funciona como casaco leve nos dias de temperatura amena -- surge em versões atualizadas, marcando o início de um revival da década de 90.
Histórico
Surgido em Seattle, o movimento grunge – que tem como expoentes Nirvana, Peal Jam, Alice in Chains, Soundgarden e Stone Temple Pilots – foi, além de um movimento musical, a fonte de um estilo de vestir que se propagou entre os jovens dos anos 90: cabelos desgrenhados, moletons soltos, tricôs desmazelados, calças jeans puídas, tênis All Star velhos e as camisas xadrez de flanela usadas sobre camisetas velhas.
E foram esses jovens de Seattle os responsáveis por propagar ao mundo fashion as então conhecidas “camisas de lenhador”, populares nas regiões mais frias dos Estados Unidos e Canadá, feitas de flanela, um tecido macio e felpudo resultado da mistura de algodão com lã, que era usada desde o século XVI nos tartans dos clãs da Escócia e País de Gales.
O primeiro estilista a detectar a tendência foi Marc Jacobs que, em 1992, criou uma coleção para a Perry Ellis baseada no movimento musical de Seattle. A coleção, no entanto, não foi bem recebida pela marca, que não queria associar sua imagem clássica aos jovens desarrumados que emanavam uma atitude antimoda e acabou demitindo Jacobs.
Quase 20 anos depois, o espírito grunge ressurge entitulado de “Nu Grunge” (algo como Novo Grunge) e a camisa de flanela ganha uma versão atual, com a modelagem não tão ampla, e algumas ganham acessórios como capuz. As tramas aparecem com contrastes de tons, principalmente os azuis, verdes, vermelhos, além dos cinzas e pretos.
O bacana do estilo grunge é possibilitar a sobreposição de camadas de diferentes peças. No outono, quando os dias começam mais frios, ou mesmo no inverno ameno do Brasil, é possível usar a camisa de flanela como um casaco sobre camisetas de mangas compridas e curtas. Quando a temperatura subir é só tirar a camisa de flanela e amarrar na cintura.
Se o frio apertar e você quiser continuar na onda grunge, é possível colocar por cima de tudo um tricô de silhueta mais larga ou um cardigã mais solto, opções que funcionam muito bem para fazer um tipo Kurt Colbain contemporâneo.
Para que não curte flanela, existem ainda as versões de camisas de algodão com o xadrez estilo grunge, ótimas para dias não tão frios.

Fonte: UOL Estilo (Hora H por RICARDO OLIVEROS)

sábado, 29 de maio de 2010

TRANSFORMANDO FOTO EM MÚSICA



Que tal passar a ver os acontecimentos de uma forma inusitada? Em moda, isso é imperativo. Os olhos de um profissional da área de criação, em que setor for,  devem atentar à singeleza do cotidiano, por mais insignificante e simples, que parecerem ser.
Vejam o exemplo do publicitário Jarbas Agnelli, que transformou uma foto de passarinhos em música. A ideia dele pode servir de inspiração para você, que anda "às turras" com seu desenvolvimento de produto.

quinta-feira, 27 de maio de 2010

JEANS AUTOLIMPANTE CHEGA AO BRASIL


A tecnologia faz que com que, em vez de lavar, você coloque a roupa no freezer para ela se autolimpar.
A onda sustentável chegou ao vestuário brasileiro com um jeans orgânico, apresentado na Alemanha. O tecido não precisa ser lavado da maneira convencional: com água e sabão. Basta que o dono coloque sua peça dentro de um saco especial e a deixe no freezer por cerca de 12 horas (e haja saco!). É tempo suficiente para que elimine sujeira e bactérias.
O tecido é composto algodão, fibras e seu tingimento não agride o ambiente. Aqui, ele pode ser encontrado em duas versões: calça e bermuda dupla face. No País, a marca carioca Tristar é a responsável pela tecnologia, ela fornece peças para grifes como Animale, Enjoy e Espaço Fashion. A má notícia é que o preço das peças não é tão sustentável assim: em torno de R$ 300.
Fonte: Revista Galileu

Brandsclub - O que é Brandsclub Personal

Criado em março de 2009, o BrandsClub é um clube privado de compras online que vende exclusivamente para membros produtos de renomadas marcas nacionais e internacionais, como Diesel, D&G, Guess, Dior, entre outras, com descontos de até 70%. As promoções acontecem no período de 3 a 5 dias. Os produtos comercializados são autênticos e adquiridos diretamente com os fabricantes. O processo de pagamento é simples e seguro, por meio de cartão de crédito.
Como Funciona
Acesso somente aos membros do clube
Produtos autênticos com até 70% de desconto
Nos fins de semana o frete é grátis
Os Brand Days duram de 3 a 5 dias
Newsletters diárias informam os membros sobre as vendas do dia e da semana
Os eventos são limitados, assim como o número de peças vendidas
Todos os produtos são autênticos e sem defeitos
O pagamento é seguro e simples através de cartão de crédito
Conseguimos preços baixos porque as marcas possuem uma over-production que precisa ser vendida. Se a própria loja oferecesse esses descontos, sua imagem poderia ser afetada negativamente
É muito fácil se cadastrar no BrandsClub. E você ainda recebe um bônus de R$10 após o cadastro e mais R$10 quando um amigo iniciado efetuar sua primeira compra.

terça-feira, 25 de maio de 2010

NOVOS MODELOS JEANSWEAR

Já estão disponíveis novos modelos de calças femininas em  http://www.amejeans.com.br/, que podem ser "lidos" de várias maneiras e serem transformados em short's, bermudas, etc. É só soltar a criatividade. Os arquivos, em Corel Draw, não são bloqueados e os assinantes têm total liberdade de interagir com eles, para criar quantos  modelos quiser.  
Para se ter acesso à área restrita é só se cadastrar e tornar-se assinante do site. Em menos de vinte e quatro horas, você terá acesso a mais de 200 novos modelos, entre masculinos e femininos. Veja alguns exemplos de que encontrará lá.






segunda-feira, 24 de maio de 2010

ASCENSÃO DO JEANS NO AGRESTE PERNAMBUCANO

Foto: Carlos Cajueiro

A paisagem verde, com pastos e fazendas, é o cenário esperado para quem viaja em direção ao interior de Pernambuco. Esse retrato ganha um novo componente, o jeans, quando se está indo em direção a Toritama, no Agreste do Estado, a 173 quilômetros do Recife. As fábricas de jeans chamam atenção de turistas, empresários e comerciantes, que se deslocam de diversas partes do Brasil em busca do produto.
O Polo de Confecções do Agreste de Pernambuco, com uma fatia de 14%, é atualmente o segundo maior distribuidor de jeans do Brasil, só perdendo para o Estado de São Paulo. Toritama é um exemplo da busca de alternativa econômica de sobrevivência de um povo que vive em uma terra pouco propícia à agricultura e mal servida de água.
O coração das vendas do município é o Parque das Feiras. A empresária Djanete Sales Almeida, de 40 anos, está no mercado há quase duas décadas. Ela fabrica três mil peças em jeans mensalmente - e tudo é vendido. Os baianos, afirma a empresária, estão entre os que mais consomem. Eles levam todo tipo de peça, como vestidos, calças, blusas, shorts, saias e jaquetas, que saem por preços entre R$ 20 e R$ 50. “Em maio, com o Festival de Jeans, as vendas sobem em média 25%”, diz.
Esses comerciantes se orgulham porque seu público é fiel. Bruno da Fé Dias, comerciante de 29 anos, compra em Toritama desde 2002. “Primeiro trabalhei dez anos com pessoas de Santa Cruz do Capibaribe – cidade próxima –, depois passei a ter minhas próprias lojas e a comprar em Toritama. As peças daqui têm ótima aceitação no mercado da Bahia e brasileiro. Muita gente prefere comprar peças de fornecedores de Toritama a São Paulo”, afirma Bruno, que sai de três em três meses de Barreiras, a 950 quilômetros de Salvador, para comprar no interior pernambucano.
Essa efervescência em torno do jeans sempre aumenta em maio com o Festival de Jeans de Toritama – de 14 a 18 deste mês foi realizada a nona edição do evento, que recebeu 30 mil visitantes. A Associação Comercial e Industrial de Toritama (ACIT), que organiza o festival, diz que o evento foi um divisor de águas para a cidade. "Desde a primeira edição, o crescimento econômico local deu um salto”, avalia o presidente da entidade, Luciano Cavalcanti.

Valor sentimental

Toda a cadeia produtiva elogia a proposta do festival. Há quatro anos participando da iniciativa, o empresário Léo Lerony, de 31 anos, demonstra sua satisfação com um aumento de vendas entre 10% e 15%. Já a modelo Lídia Martins, de 15 anos, que desfila com o jeans produzido em Toritama, mostra o valor sentimental que o evento traz para a população local. “As modelos têm consciência da responsabilidade da passarela para os produtores da cidade. Estamos ajudando a mostrar o trabalho de muita gente aqui. Não é só questão financeira, mas satisfação profissional”, disse.
Toritama tem mais de mil fábricas de jeans, e 60 mil empregos, sendo 15 mil diretos, têm ligação com o setor. Surubim, Caruaru e Santa Cruz do Capibaribe, além de Toritama, integram o Arranjo Produtivo Local (APL), no qual 120 mil empregos diretos e 360 mil indiretos têm ligação com a cadeia do jeans – do total de profissionais que trabalham com costura, cerca de 90% são mulheres. O piso salarial é de um salário mínimo.
"São quase meio milhão de pessoas empregadas, apesar da grande informalidade do setor”, diz Waldyr Rocha, diretor da Associação Comercial e Industrial de Toritama, que reúne 150 sócios e 350 microempresários. A cidade de Toritama é responsável pela produção de quetro milhões de peças de roupas todos os meses; o polo todo, por 12 milhões.
Leia mais:
Leopoldo, designer: "moda em Toritama é a do mundo"

Fonte: Sílvia Leitão, especial para o iG, de Toritama (PE)
24/05/2010

quarta-feira, 19 de maio de 2010

CURSO DE MODELAGEM INDUSTRIAL


Tenho recebido muitos e-mails, pelo site, de pessoas, que têm interesse no curso, mas por falta de tempo não o fazem. Então, atendendo a essas solicitações, ministraremos o curso, também aos sábado, em dois horários, de manhã, das 8:00 às 12:00, e à tarde, das 14:00 às 18:00.
As turmas são de, no máximo 10 e, no mínimo, 8 participantes.
Há certificação no término do treinamento.
Maiores informações pelos telefones: 11 2695 2861/ 9879 0895
Confira o programa e as respectivas datas:

PROGRAMA DO CURSO DE MODELAGEM INDUSTRIAL

O participante é capacitado a obter as condições e técnicas para o desenvolvimento da modelagem das peças básicas, que compõem o vestuário, masculino e feminino.
(Carga horária: 90 horas)

Pré-Requisito
Ter, no mínimo, 16 anos de idade e o Ensino Fundamental concluído

Método
Aulas teóricas e práticas

Programa

  • Medidas

    • Como tirar medidas (medidas principais e auxiliares)

    • Tabelas de Medidas ( masculina, feminina e infantil)

  • Saia

    • Diagrama

    • Variação das saias

    • Cós reto, anatômico e revel

    • Graduação

  • Blusa sem pence

    • Golas

    • Mangas

    • Graduação

  • Blusa com pence de busto

    • Diagrama

    • Transferência de pence

    • Estudo dos decotes

    • Estudo das golas

    • Estudo das mangas

    •  Graduação

  • Camisa masculina

    • Diagrama

    • Colarinho

    • Golas

    • Manga

    • Punho

    • Graduação

  • Calça

    •  Diagrama

    • Variação de modelos

    • Bolsos

    • Graduação

  • Adaptação de Modelos

    • O participante de posse dos conhecimentos desenvolvidos ao longo do curso, aprenderá a fazer algumas adaptações de modelos.
Número máximo de participantes: 10
Número mínimo de participantes: 08
Valor: R$ 750,00
Forma de Pagamento: 3 parcelas ( 1ª à vista, mais duas parcelas de R$ 250,00)
Horários:
8:00 – 12:00 (manhã)
14:00 – 18:00 (tarde)
Dias da Semana: Sábado
Data: De 26 de junho a 16 de Outubro