terça-feira, 30 de novembro de 2010

VERÃO 2012 DIESEL

A marca italiana  DIESEL apresenta em sua coleção Primavera/Verão 2011 (nosso 2012) uma verdadeira “barreira de sensações” entre homens e mulheres, mexendo com os sentidos, de forma diferente, de ambos.
Na linha masculina explora o tato, com peças construídas sob tecidos de superfícies variadas: das empapeladas às rústicas, passando pelas craqueladas e aterrissando nas escovadas.
Já para elas, o foco é a visão, em combinações provocantes e irreverentes de materiais e cores, como preto e azul petróleo, e uma espécie de lona “suja” nos recortes de algumas peças. Além dos estampados sangrados e lavados em sobretintos ocres, com aspectos amarelados, do tipo "sujinho", que beiram o mau gosto.

Na modelagem, nenhuma novidade, as formas básicas prevalecem: ganchos alongados, bocas estreitas, alfaiataria para eles. Enquanto a skinny e a super skinny reinam absolutas na coleção feminina.
Confiram as imagens...

*************************

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

E-TECIDOS REVOLUCIONAM COMPUTADORES DE VESTIR

Tom Martin e Meghan Quirk trabalham em seu tear que tece tecidos eletrônicos - uma fita do qual pode ser vista abaixo do braço da pesquisadora. [Imagem: John McCormick.]
e-Tecidos

Mark Jones e Tom Martin são engenheiros, não designers de moda, mas estão construindo os tecidos do futuro. Já apelidados de e-tecidos, são roupas com componentes eletrônicos embutidos. É a versão acabada dos computadores de vestir, voltados tanto para uso militar quanto para uso civil.
Os dois pesquisadores trabalham no Departamento de Elétrica e Engenharia da Computação da Universidade Virginia Tech (Estados Unidos). Martin e Jones estão trabalhando em conjunto com outros pesquisadores da Universidade Sul da Califórnia em um projeto chamado STRETCH.
O objeto do STRETCH (elasticidade) é a fabricação de e-tecidos que se parecerão com equipamentos militares típicos, tais como barracas ou redes de camuflagem. Os sensores e circuitos eletrônicos construídos entre as fibras do e-tecido terão como papel principal o sensoriamento dos sons distantes de veículos inimigos em movimento.

Sensores e circuitos de conexão

Dentro do e-tecido, os sensores e seus circuitos de conexão irão se comunicar uns com os outros para criar padrões de informação. Esta informação poderá então ser convertida por programas de computador em imagens que permitam aos soldados determinar a localização e a distância dos sons captados.
O pedaço de e-tecido que aparece na foto contém um conjunto de microfones utilizados para localizar a direção de uma fonte de som, por exemplo um veículo militar. A placa no centro calcula a direção do som. Fios conectando os microfones à placa fazem parte do próprio tecido. Vários desses conjuntos de microfones podem determinar a localização de um veículo.
"Nós estamos projetando e construindo um protótipo de 10 metros de comprimento para o projeto STRETCH." disse Jones. "O objetivo do projeto é o desenvolvimento de um sistema de e-tecido que seja flexível, de baixo custo e que não dependa de ondas de rádio." O e-tecido está em testes durante este mês de Novembro.

Roupa com detecção acústica

Os militares já possuem sistemas de detecção de sons baseados em ondas de rádio, mas este tipo de comunicação alerta o adversário para a localização de uma unidade militar. Os e-tecidos agora desenvolvidos não produzem ondas detectáveis e também consomem menos energia do que os sistemas de rádio.
A detecção de sons é apenas uma dentre uma infinidade de aplicações possíveis para o e-tecidos. Apenas modificando-se os sensores pode-se fazer com que o e-tecido detecte agentes químicos e até capte sinais de satélites. Os usos industriais possíveis também são inumeráveis.

Computador de vestir

O conceito geral de computador de vestir consiste em uma pequena CPU incrustada na roupa, com conexão para um suporte de cabeça que possui uma tela de cristal líquido. A tela fica na altura do olho do usuário. Mas o projeto STRETCH é algo completamente diferente.
Uma vez que os circuitos e fios são literalmente tecidos entre as fibras do e-tecido, os computadores de vestir podem ser construídos como qualquer roupa comum, seja uma camiseta ou um boné ou qualquer outra peça de vestuário. Estes computadores não conectam o usuário à Internet nem enviam ou recebem e-mails, mas são capazes de executar funções específicas de interesse do usuário.
"Computadores de vestir construídos de e-tecidos oferecem sensibilidade ao contexto." diz Martin. "Eles podem ser projetados para acompanhar os movimentos do usuário e do seu ambiente." Por exemplo, sensores chamados acelerômetros - do tipo daqueles utilizados para acionar os airbags de automóveis - podem detectar alterações na velocidade e na direção. Há sensores visuais que podem projetar imagens para minúsculas telas montadas em óculos. Uma camisa de e-tecido para uma pessoa cega poderá mesmo incorporar pequenos motores vibratórios, como os vibracall dos telefones celulares, que alertam o usuário para aproximação de objetos, pessoas ou veículos.

e-Tecidos de baixo consumo

Faz parte também do projeto a redução do tamanho das baterias utilizadas para alimentar os computadores incorporados na roupa. Os pesquisadores estão também desenvolvendo softwares que identificam os circuitos na roupa depois que as costureiras terminarem seu trabalho. Desta forma os projetistas saberão o que está onde o que depois que a roupa foi terminada.
Os usos potenciais para o e-tecido vão desde o uso diário, como um esportista que poderá ser avisado pela sua meia de sua velocidade e da distância percorrida, até serviços de emergência, tais como uniformes que poderão permitir aos bombeiros mapear seu caminho de entrada e saída dentro de prédios escuros.
Mas os usos mais intensos deverão vir do ambiente industrial. "Por exemplo, plantas de edificações que trabalhadores da construção civil e de manutenção utilizam em seu trabalho podem ser digitalizadas e impressas em computadores de vestir, liberando suas mãos para as tarefas." explicou Martin.

Redação do Site Inovação Tecnológica - 20/11/2002

terça-feira, 23 de novembro de 2010

CURSO DE MODELAGEM FEMININA EM JEANS

Quando decidi criar um curso específico, para o segmento jeans, não imaginava que a procura seria tão grande!...
As turmas foram, rapidamente, completadas durante a semana, e tive que montar uma extra, aos sábados. Mesmo assim, muitos ficaram "na espera"... 
Diante desse quadro - e a pedidos -  resolvi me antecipar e já começar uma nova turma no mês de janeiro, do dia 17/01 a 04/02.
Para isso, as reservas das vagas, para o curso, já estão abertas e vão até o dia 21 de dezembro, impreterivelmente...
Os interessados deverão entrar em contato pelo e-mail contato@amejeans.com.br  ou 11 2695 2861/ 9879 0895  para obter maiores informações.
Há certificação, ao final do treinamento....
Veja o banner promocional:

sábado, 20 de novembro de 2010

MODA MASCULINA: VERÃO 2012

Apesar da clara referência no universo militar do Oriente Médio, a marca americana  PRPS  propõe para o verão 2011 (nosso 2012),  um homem totalmente livre, em jaquetas utilitárias e peças em estampas camufladas. Um despojamento total!
Nas lavações, elas são desgastadas ao máximo, com aplicações de patch, para emprestar um espírito workwear, ao estilo proposto.
A modelagem é básica, tanto na construção dos bottons, quanto nos tops. O destaque (se é que existe!) fica para as bermudas, com entrepernas na altura do joelho...

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

CONSULTORIA DE MODA


A AME JEANS, além de ser uma empresa virtual, também presta consultoria e assessoria de moda em estilo e modelagem, de acordo com as necessidades do cliente.
Em nosso rol de serviços estão: 
Produto
  • Coordenação de produto (planejamento e desenvolvimento de coleção)
  • Modelagem
  • Peça-piloto

*********************************************************************************

*********************************************************************************


Coordenação Visual da Marca
  • Marketing de moda
  • Coordenação de moda
  • Palestras
  • Organização de eventos (da apresentação do produto)

Para maiores informações, ligue 11 2695 2861/ 9879 0895

domingo, 14 de novembro de 2010

ELKE MARAVILHA "MARAVILHOSA"

Um ícone midiático...desde que surgiu nunca saiu de cena e de moda. Ser diferente no meio da multidão, é coisa facílima, para a performática ELKE MARAVILHA, que está aí, nos encantando a todos, há mais de 40 anos. E leva muito a sério essa questão do estilo. Por isso diz, que "deixa a moda-uniforme para as burrinhas". Coisa, que ela nunca foi...e pelo jeito jamais será!

Foto Divulgação
Nos idos de 1969, recém-chegada ao Rio, ela resolveu mudar o visual e desbravar as avenidas cariocas vestindo roupa rasgada e maquiagem borrada.
Resultado: tomou uma surra feia de um grupo de mauricinhos em Ipanema. "Eu morro, mas não viro normalzinha, arrumadinha. Minha roupa é alma, é expressão. A modinha-uniforme eu deixo para as burrinhas sem personalidade", diz.
Foto Divulgação
Anos depois, virou modelo profissional. Desfilou para grandes estilistas entre as décadas de 70 e 80, entre eles Guilherme Guimarães e Zuzu Angel (1923-1976). Inspirou criações de Clodovil (1937-2009), montou figurinos para o grupo performático Dzi Croquettes e ganhou espaço como ícone fashion.
Na passarela e nos editoriais, ela encarnava personagens um tanto sem graça para o seu gosto apimentado, mas a exuberância de Elke Maravilha influenciou os fashionistas da época.
Foto Divulgação
"Depois de um certo tempo, minhas loucuras acabavam sendo incorporadas às fotos, as pessoas me achavam muito criativa. Mas às vezes tinha de botar um terninho e me sentia ridícula."
Seus looks, segundo ela, são um misto de escavação arqueológica, elementos religiosos e folclore, tudo temperado com um olhar novo.
Foto Divulgação
"Pego as referências, dou uma remexida e jogo tudo para o futuro. Fui pioneira da roupa multicultural."
Elke conta que escolhe seu figurino a partir do que está sentindo no dia. "Defino a minha roupa a partir do meu espírito. Às vezes, até ponho na mala mais de uma roupa para escolher quando vou participar de algum evento."
Foto Divulgação
Gosta de ter pelo menos uma hora para se arrumar e maquiar, "mas posso fazer até em 20 minutos". "Querem que a gente use só o cabelo da cabeça. Mas eu acho isso mixo. Gosto de aplique."
Musa de estilistas contemporâneos como Ronaldo Fraga e Walério Araújo, diz que se emociona com as homenagens e adora quando aparece um convite para desfilar.
Foto Divulgação
"Ai, criança, a veia aqui ainda dá pinta na passarela", diz, soltando uma contagiante gargalhada. (VW)

sábado, 13 de novembro de 2010

LANVIN FOR H&M MENSWEAR

Os fashionistas de plantão já estão repercutindo os principais looks da nova coleção Lanvin x HM Menswear, criada pelo designer Lucas Ossendrijver, que estarão nas lojas, a partir do dia 23 de novembro.
O mix de produtos da marca é composto por peças - embora clássicas - totalmente descoladas, com forte apelo esportivo. O que proporciona mais liberdade de uso a qualquer hora, all day long...Confiram!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

PRODUTO-MEDUSA

Divulgação
Segundo a mitologia grega, a medusa era um monstro cujo olhar petrificava a quem quer que olhasse para ela.
Traçando um paralelo com o produto de moda, é exatamente isso que todos gostaríamos, que não acontecesse quando alguém olhasse para a nossa roupa exposta na vitrine, mas instigar a quem quer que fosse a se movimentar e consumir o nosso produto. “Deixar, literalmente, todos que passarem em frente à loja com vontade de entrar e comprar”.
Seria fácil, se ao desenvolver o produto, quem o fizesse se preocupasse com o seu pré-encantamento. Ou seja, a idéia primeira, deveria ser de fácil entendimento a quem o produz. Digo isso, sem medo de errar, de que se o pessoal do "chão da fábrica" ficar maravilhado e não alheio ao produto desenvolvido, já será por volta de 99% de certeza o sucesso da venda de tal moda.
Quando o “ti-ti-ti” começa pela mesa do modelista, passa pelas máquinas das costureiras e se estende para os outros setores, não resta dúvidas, que se trata de um “modelo de movimento”. Tem o poder de incomodar...
O fatídico 1% se esbarra no mau treinamento dos vendedores, que, na maioria das vezes, a cada nova estação, não sabem o que lhes chega à loja. O que nos leva a crer, que é de todo importante, que se façam encontros periódicos, quando do lançamento do mostruário,  entre o estilista e os vendedores, para serem apresentados os conceitos da estação e explorados à exaustão o que se quer exprimir no produto criado, para que esses profissionais, também, abracem a idéia e comprem, de antemão, o espírito da temporada.
O investimento, por parte do empresário, será infinitamente menor, e evitará dissabores mais tarde, se for lançada mão desse estratagema.
Muito melhor “gastar” tempo e dinheiro, com informação e treinamento antes, do que ter que conviver com uma coleção encalhada no estoque, depois. Uma tragédia previsível, que pode ser evitada!
Em Atenas, em meados do século VI a.C., algumas taças de vinho apresentavam perto do fundo, figuras de rapazes nus a servirem vinho aos convidados, enquanto que na base da taça, estava estampado o símbolo da Medusa, que queria dizer que quem bebesse por essas taças, no momento em que o vinho chegasse a um nível onde era permitido poder se ver esses desenhos,significava que a taça necessitava de ser enchida. A cabeça da Medusa depositada no fundo, seria uma mensagem humorística que indicava ao convidado manter a taça do vinho sempre cheia durante a festa, caso contrário, viria a figura dela desvendada e o bebedor seria transformado em pedra.
Que tal, ao desenvolver seu produto, nunca deixar essa taça de vinho vazia?

MODA DE RUA DE NOVA YORQUE

Invasão dos brancos e dos chapéus nas ruas de Nova Yorque. Veja a análise do crítico de moda Bill Cuminghan. That's it!

terça-feira, 9 de novembro de 2010

PARAGUAÇU TÊXTIL NO CAFÉ FASHION

Num bate papo agradável e descontraído com a expert em marketing de moda  Renata Miranda, aconteceu no último dia 04 de novembro, no programa Café Fashion, a nossa apresentação com mais detalhes das formas e estilos do Inverno 2011. Ao todo foram mostradas 16 peças, entre calças, jaquetas e saias.
Para a confecção dos modelos, utilizamos os últimos lançamentos da Paraguaçu Têxtil, tecelagem mineira, que tem se firmado como uma das maiores fornecedoras do fashion denim no país.
Para quem não conhece, melhor começar a prestar atenção nessa empresa...

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

ESCOLAS DE MODA E CIA

Foto Divulgação

Muito a contragosto, vou considerar, assinando em seu relatório de estágio, essas horas "sofríveis", tanto para mim, quanto para você,  que passou comigo. Primeiro, porque o que me trouxe, academicamente falando, não utilizei em nada no AME. Em 100% das situações, tive de refazer o que lhe pedira para fazer. Segundo, que não gostaria de assinar embaixo um aprendizado capenga, que as escolas de moda e afins têm ensinado, não só a você, mas a outros, que por aqui passaram e que tenho encontrado, nas empresas, nas quais presto consultoria.
Conceitos básicos do setor - o que, diga-se de passagem, é o mínimo que se espera de uma instituição de ensino séria -  que deveriam ser aprendidos em sala de aula, para que pudéssemos desmembrar e discutir aqui, lhe faltaram e tem faltado a muitos.
É triste, porque vou anuir e remunerar um serviço, que na realidade, fui eu quem fiz...Mais triste, ainda, é não conseguir me identificar nas escolas de moda, sejam elas quais forem, mesmo naquelas aonde eu tive o privilégio de estudar e que me ensinaram muito - do que sei e do que sou -, nos estudantes de hoje.
O que nos reserva o futuro?... De minha parte, tenho, literalmente,  pagado para ver...coisa alguma!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

FANTASIA

Fiquei me segurando por mais de um mês, para não copiar, mas não aguentei... Tenho que dividir com vocês esse vídeo, que assisti no blog da Regina Guerreiro...Lindo, luxo...!
Como ela bem diz em seu post: "FANTASIA é um mix-maravilha de modas, ritmos e danças..."
Um vídeo atemporal, com a modelo Lily Donaldson, dirigido pelo fotógrafo inglês Nick Knight.
Aproveitem e se quiserem...copiem também!